Alergia em cachorros: como identificar e tratar

Todo cachorro sente coceira. É perfeitamente normal que seu cão se coce, se lamba e até se morda às vezes. Mas quando a coceira é muito intensa, incessante, quando o cachorro acorda – ou não dorme – devido ao incômodo, quando há muita queda de pelos ou lesões na pele, há grande probabilidade de seu amigo estar passando por uma alergia.

E quanto antes você souber identificar o tipo de alergia, a causa e começar um tratamento, melhor será e menos chances haverá de o seu cão desenvolver outros problemas decorrentes do ato de se coçar, como machucados, infecções ou estresse.

Causas de alergias em cachorros

Alergia em cachorros: como identificar e tratar
Alergia em cachorros: como identificar e tratar

As causas de alergias em cachorros podem ser tão variadas quanto em humanos. A coceira pode ter origem em contato com plantas, tecidos ou materiais de limpeza e higiene, e o cão também pode ser alérgico a algum tipo de comida, medicamento, inseto, praga, ou até ao pólen.

Os sintomas mais comuns de alergias de pele em cachorros, além do ato de se coçar, incluem espirros, olhos úmidos, mordidas nas patas, feridas e inflamações na pele, focinho e orelhas, além de pele e pelagem mais secas ou mais oleosas do que o normal.

O termo científico para a coceira é “prurido” e responde pelo segundo motivo mais comum de levar o cachorro ao veterinário – perdendo apenas para problemas gastrointestinais. Alguns especialistas ao redor do mundo falam inclusive em “epidemia alérgica”, pois os casos aumentaram exponencialmente nos últimos anos.

Embora as causas sejam incertas e variadas, algumas teorias apontam que o desenvolvimento das raças puras e as deficiências nutricionais de alguns alimentos possam ser as razões por trás do problema.

As alergias, em geral, apesar de serem difíceis de identificar – e normalmente incuráveis – não são graves e são de fácil tratamento. Frequentemente, basta melhorar a qualidade da ração, oferecer nutrição para pele e pelos de cachorros ou tratar com medicamentos com função semelhante aos antialérgicos.

Vamos então conhecer quais são os tipos mais comuns de alergias ou disfunções de pele em cachorros e como você pode ajudar a aliviar o sofrimento de seu companheiro.

Tipos de alergias em cachorros

Pele seca 

É uma das causas mais comuns, especialmente se você mora em um lugar quente e/ou de baixa umidade. Para verificar se é esse o problema, afaste o pelo de seu cão e observe se há caspa ou se a pele está rachada e dura.

Inclusive, ao fazer esse teste, o seu cachorro deve começar a se coçar violentamente, porque o mais leve toque na pele seca provoca bastante prurido ao animal.

Além do ambiente onde o cachorro vive, a desidratação de sua pele pode ter origem na sua alimentação também. Algumas rações secas, principalmente, podem ser a causa da disfunção epitelial.

Dermatite ambiental

São as alergias de pele que resultam da interação de seu cachorro com o ambiente em que vive: grama, plantas, poeira, pólen, insetos etc. Pode evoluir para dermatite úmida, se o seu cão ficar lambendo e mordendo a região de prurido.

O tratamento, nesse caso, inclui identificar possíveis causas e impedir o contato do animal. Além disso, você pode usar medicamentos para controle de coceira de baixa contraindicação ou shampoos que aliviam e regeneram a pele.

Dermatite nutricional

São alergias de pele provenientes de uma nutrição inadequada. Muitas rações do mercado são pobres em nutrientes e por vezes não oferecem o básico que seu cão precisa. A melhor maneira de “curar” essa alergia é oferecer alimentos de qualidade, rações especiais para pele sensível e ômega 3.

Pulgas, carrapatos, piolhos e outros bichos

Há uma variedade de espécies de insetos, aracnídeos e outras pragas que podem prejudicar o seu amigo. Mas também há muitos medicamentos que mantêm o seu cachorro livre deles. Os antipulgas e carrapaticidas são produtos de aplicação fácil e atendem a todos os tamanhos e raças de cachorros.

Alergia a comida ou medicamento

São 10% das alergias dos cachorros. As mais comuns incluem trigo, milho, soja, frango e ovos. Observe a composição da ração de seu amigo e tente trocá-la para ver se alivia a coceira.

Lembre-se que alergia e intolerância são duas coisas diferentes. Alergia normalmente provoca coceira e irritação na pele, mas pode chegar a causar choque anafilático, por exemplo. Intolerância envolve vômito, diarreia e dores gastrointestinais.

Medicamentos, tanto orais quanto tópicos (porque seu companheiro pode lamber a área onde um remédio é aplicado) também podem provocar alergias de pele ou irritação gastrointestinal em seu cachorro. Se for o caso, converse com seu veterinário para analisar as alternativas para o tratamento vigente.

Alergia de contato

Este é um problema comum quando seu cachorro entra em contato com produtos químicos, tais como cloro ou material de limpeza. Para tanto, evite que seu amigo chegue perto desses artigos na sua casa.

Além disso, também pode ser alergia a algum produto de higiene que você ou o pessoal da pet aplica no seu cão durante ou depois do banho. Se for o caso, opte por shampoos e cosméticos hipoalergênicos  e/ou terapêuticos.

Urticária

Mesmo tipo de alergia que em humanos, a urticária é uma reação característica do corpo a um agente externo mal recebido. Normalmente aparece como bolinhas que causam muita coceira, logo após o contato com o foco de alergia – que pode ser qualquer uma das listadas acima.

A urticária tende a desaparecer em 24 horas, mas, caso seja necessário, você pode pedir um antialérgico ao seu veterinário, para aliviar os sintomas em seu amiguinho.

Foliculite

Essa disfunção causa feridas, inchaços e crostas na pele do cachorro. Em cães de pelo curto, são fáceis de serem vistas. Porém, em cães de pelo longo, o sintoma mais visível é o pelo sem brilho e viço, e pele descamando.

Normalmente, associada a outras alergias de pele, a foliculite é causada por bactérias, por isso, precisa da indicação de um antibiótico por parte de um médico veterinário para tratamento. Esse medicamento pode ser oral ou tópico, como pomadas e shampoos adequados.

Pioderma

Outra infecção bacteriana que pode ocorrer sozinha ou em conjunto com uma dermatite alérgica. Seu cachorro pode desenvolver essa doença ao mastigar e lamber a pele, devido à coceira ou estresse. Como a pele – mesmo saudável – tem muitas bactérias, elas podem infeccionar uma área machucada com arranhões e saliva do animal.

Fungos

Igualmente chamadas de dermafitoses ou micoses caninas, as infecções por fungos também são causadas por parasitas que se instalam em áreas úmidas ou lesionadas da pele. Recorrentes como oportunistas devido a dermatites anteriores, os fungos se instalam normalmente nas orelhas, face, cauda e ventre do cão.

Ácaros

comuns em todos os animais e inclusive seres humanos, esses aracnídeos podem causar alergias de intenso prurido. O tratamento é o mesmo de outras dermatites.

Sintomas das alergias em cachorros

Como você já percebeu, as causas de alergias em seu cachorro podem ser as mais diversas. Já os sintomas não variam muito. Então, quando você perceber algumas das manifestações abaixo, é interessante levar seu amigo a uma clínica veterinária, para que o médico possa indicar o tratamento mais adequado para cada caso:

  • Bolinhas vermelhas
  • Áreas escamosas
  • Queda de pelo
  • Manchas de pele
  • Agitação
  • Odor na pele e pelos
  • Feridas
  • Caspa
  • Pelo oleoso ou sem brilho
  • Inflamações – especialmente nas patas
  • Vermelhidão na pele
  • Agressividade
  • Saliências semelhantes a acne
  • Pele seca ou grossa

Quando o seu cachorro estiver com alergia é fácil de perceber. Apresentamos alguns locais bem comuns e visíveis:

 Orelhas: quando o seu cachorro estiver com alguma alergia você vai notar que ele ficará com um vermelhidão nessa região. O próprio animal vai ficar se coçando e se sentindo incomodado.

Região da Pele:  o que acontece na orelha também pode ocorrer no restante do corpo. Até mesmo na barriga, ou próximo ao rabo. A pele pode ficar vermelha, como também com um aspecto mais seco. O cachorro se sentirá incomodado e vai ficar se coçando constantemente.

Olhos: se ele tiver alergia, pode ficar lacrimejando ou até com os olhos mais inchados.

Estado de saúde:  ele pode estar com alergia quando você notar mudança de comportamento em seu estado de saúde. Perda de apetite, vômitos, diarreia, se lamberá sem parar ou terá problemas de respiração. Isso apresenta uma mudança e mostra que ele pode estar com alguma alergia ou intoxicação.

Prevenção de alergias em cachorros

As alergias dos cachorros, assim como as de humanos, são difíceis de prever e evitar completamente. Porém, existem alguns hábitos que você pode adquirir para reduzir as chances de coceiras em seu companheiro de quatro patas. São elas:

  • Ao dar banho, tente usar somente água morna. Se precisar de produtos de higiene, use shampoos e cosméticos hipoalergênicos.
  • Se você leva seu cachorro a um pet shop para banho, leve os produtos de higiene de seu amigo ou então conheça os cosméticos que a pet utiliza. Além disso, peça para não usarem o secador e a água em temperaturas altas demais.
  • Prefira rações úmidas a secas.
  • Adicione enzimas digestivas ou probióticos às refeições. E acrescente outros suplementos se necessário. (ambos os casos somente mediante orientação veterinária)
  • Garanta água pura, limpa e fresca durante todo o tempo, especialmente em dias quentes e secos.

 

E jamais esqueça: embora você encontre diversas páginas na internet oferecendo curas e tratamento caseiros, somente um médico veterinário é capaz e habilitado para prover um diagnóstico e procedimentos seguros e eficazes para o bem-estar de seu cão. E quanto mais breve o diagnóstico, mais rápidos e efetivos serão os resultados.

Tratamento de dermatite em cães

Existem várias medidas terapêuticas e mudanças no estilo de vida que melhoram muito o quadro clínico do animal. As medidas gerais de apoio são intervenções que por si só não costumam ter a capacidade de controlar os casos graves de DAC, mas que ajudam a avançar no controle e permitem reduzir a dose de drogas:

  • Controle estrito de ectoparasitas
  • Banhos frequentes com um shampoo adequado
  • Alimentação com um alimento específico: dieta veterinária avançada, cuidado atópico que atua em três níveis

Dependendo do tipo de dermatite que o cachorro possui, o tratamento pode variar drasticamente . Portanto, juntamente com as indicações acima, é muito importante que você consulte suas dúvidas com o veterinário.

Ele irá informá-lo sobre o tipo de dermatite que o animal de estimação sofre, a causa que o causa e o remédio  eficaz em tratá-lo. Não hesite em procurar o conselho antes de iniciar um tratamento (não apenas com dermatite, mas também com outras doenças), pois você pode cometer erros e fazer um tratamento errado e prejudicial à saúde do cachorro.

A utilização de produtos especializados a higiene e tratamento da dermatite é aconselhável ao seu animal de estimação.

O cachorro teve ou tem dermatite? Você sabe de que tipo? Você já notou o  cão algum dos sintomas descritos acima? Conte-nos sobre a experiência, bem como o que o veterinário recomendou a você, toda a ajuda é pequena se o animal de estimação sofre desta doença.

Tipos de dermatite

Dermatite alérgica

Também chamada de “atópica”.

A dermatite atópica é uma doença inflamatória crônica da pele associada a alergias. De fato, esta é a segunda doença de pele alérgica comum em cães. Essas reações alérgicas acabam sendo causadas por substâncias normalmente inofensivas, grama, mofo, ácaros e outros alérgenos ambientais.

Os cães normalmente apresentam sinais da doença entre 3 meses e 6 anos de idade, embora a dermatite atópica possa ser tão leve no primeiro ano que não se torne clinicamente aparente antes do terceiro ano.

Apesar dos cães serem propensos à dermatite atópica do que os gatos, isso ocorre nos felinos. Os sintomas associados à dermatite atópica pioram progressivamente com o tempo, embora se tornem  aparentes durante certas estações do ano. As áreas comumente afetadas em cães incluem:

  • Orelhas
  • Pulsos
  • Tornozelos
  • Focinho
  • Virilha
  • Ao redor dos olhos
  • Entre os dedos dos pés

Os sinais associados à dermatite atópica, por sua vez, consistem em coceira, coçar, esfregar e lamber, especialmente em torno do rosto, patas e axilas.

O início precoce é frequentemente associado a uma história familiar de alergias cutâneas. Isso pode levar o cachorro a se tornar  suscetível a alérgenos: gramíneas, ervas daninhas, árvores, etc., esporos de mofo (interior e exterior), ácaro da poeira da casa, pulgas entre outros. Então, deve-se realizar o diagnóstico, e o veterinário vai querer um histórico médico completo para determinar a causa subjacente das alergias da pele, incluindo um exame físico do cão.

O teste sorológico de alergia pode ser realizado, mas nem sempre tem resultados confiáveis. A qualidade desse tipo de teste geralmente depende do laboratório que analisa os resultados. O teste intradérmico, através do qual pequenas quantidades de alérgenos de teste são injetadas na pele e a pápula (uma colisão vermelha) é medida, também usado na identificação da causa da reação alérgica do  animal de estimação.

Dermatite Fúngica

Geralmente aparece em raças notáveis ​​como Sharpei, Bulldog, devido ao acúmulo de gordura entre as pregas, já que a gordura é a umidade e os fungos se multiplicam em ambientes úmidos.

Às vezes, esta dermatite aparece junto com a dermatite alérgica devido à diminuição das defesas, quando aproveitam os fungos e se proliferam. Normalmente, a dermatite fúngica pode acabar sendo diagnosticada com a lâmpada de Wood, pela fluorescência que aparece em contato com os esporos dos fungos. Se não for detectado desta forma, o cultivo de cogumelos é geralmente feito.

Dermatite de pulgas mordida

As pulgas podem causar alergia dermatite picada, normalmente localizados em torno da cauda, orelhas e nas costas, que é onde as pulgas.

Dermatite devida a doenças como a Leishmania, Babesia, Ehrlichia e Borrelia

Itvai compañanada de outros sintomas, também comentou sobre a questão Leishmania e pipetas página.

Diagnóstico e tratamento de alergias em cachorros

O diagnóstico preciso só pode ser dado pelo profissional competente, o médico veterinário, através de exames simples como uma checagem da pele, ou inclusão de exames de sangue e laboratório, para verificação de parasitas, infecções e intolerâncias.

Uma vez que o diagnóstico é definido, o veterinário irá prescrever medicamentos e outras práticas para controlar as alergias e impedir novas manifestações.

A prescrição pode envolver remédios (antialérgicos, anti-histamínicos, antifúngicos, antibióticos, suplementos nutricionais, corticoides, imunoterapia e até medicação para tireoide), shampoos, troca de rações ou artigos do seu cão, controle de pragas e adaptação do ambiente onde vocês vivem.

Cuide da alergia em seu cachorro. Realize o tratamento adequado!

Continue lendo:

Sobre AB Araujo

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *