Campilobacteriose (Campylobacter em Aves)

Campilobacteriose é uma zoonose causada pelas bactérias do gênero Campylobacter. No século vinte houve vários casos da doença, atualmente os surtos causados por essas bactérias superam os casos de Salmonellose em muitos países.

Campylobacter jejuni e Campylobacter coli são as principais espécies causadoras de enterites em humanos. São bactérias Gram negativas encontradas no intestino de animais. Entretanto não há noticias que tenham causado danos a saúde dos mesmos, exceto por casos isolados de aborto em bovinos e ovelhas. O Campylobacter jejuni também pode causar doenças em avestruzes.

Em humanos a doença é auto limitada, mas podem ocorrer sequelas graves como a síndrome de Guillain-Barré, artrite reativa e a síndrome do intestino irritável. São sintomas da doença diarréia aquosa ou sanguinolenta, cólicas abdominais e náuseas.

Cadeia avícola e a Campilobacteriose

A contaminação pela bactéria pode ocorrer pelo consumo e manipulação da carne de frango e o contato direto com aves contaminadas. A ingestão de ovos não representa fator de risco de contaminação de Campilobacteriose.

Segundo o The Community Summary Report (2009) a carne de aves de capoeiras é a principal fonte de contaminação de campilobacteriose e salmonelose na União Europeia. No Brasil a carne de frango, processados e miúdos foram responsáveis por 4,58% dos surtos de origem alimentar no período 2000 a 2013.

Medidas preventivas e de controle durante a produção, transporte e abate, devem ser utilizadas para evitar a contaminação da carne.

Medidas a serem adotadas durante a produção

A contaminação dos frangos de corte pela bactéria é influenciada pelo clima, sazonalidade e o ambiente. O risco de contaminação aumenta com a idade dos animais, o número de casas próximas ao local de criação e a presença de outros animais na redondeza.

As medidas de biossegurança são importantes para evitar a contaminação do lote de frangos de corte. Destacando o uso consciente das ante-câmeras, os procedimentos higiênicos adotado para os trabalhadores ( lavagem e desinfecção dos calçados, troca de roupas, etc…) e o adequado uso, limpeza e desinfecção de utensílios.

Uma falha no processo de biossegurança que leva a contaminação das aves, é o abate parcial do lote. À medida que o tempo entre o abate das aves aumenta a maior chance de contaminação das aves que permaneceram no galpão.

Outro fator importante a ser observado no programa de biossegurança é o combate as moscas que atuam como vetores da bactéria.

Problemas de contaminação durante o transporte

As caixas de transporte merecem especial cuidado e higiene já que podem levar a contaminação a animais livres da bactéria. Deve-se ter maior atenção ao deslocamento dos animais que permaneceram na granja.

Problemas de contaminação durante o abate

No abatedouro existe o risco de contaminação cruzada entre o intestino, especialmente o ceco, de animais contaminados e as carcaças de animais livres da bactéria.

Uma alternativa seria separar os animais positivos e negativos, mas na prática esse método é complicado pela demora na resposta do teste de Campylobacter ssp. e pelos resultados falsos negativos.

Fontes:

  • Brasil. Vigilância Epidemiológica das Doenças Transmitidas por Alimentos. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/svs> Acesso em: 29 de setembro 2013.
  • The Community Summary Report on Trends and Sources of Zoonoses and Zoonotic Agents in the European Union in 2007, The EFSA Journal (2009), 223.
  • Waggenar J.A. Campylobacter: a friend of poultry but an enemy of public health. In: XXIV WORLD´S POULTRY CONGRESS, 2012, Salvador, 2012. Anais…  Salvador, 2012. p.1-8.
Resumo do Artigo
Título do Artigo
Campilobacteriose (Campylobacter em Aves)
Autor
Empresa
AB Araujo

Sobre AB Araujo

A Loja Agropecuária e Veterinária AB ARAUJO está no mercado há 29 anos, com ênfase na criação de Aves, Suínos, Bovinos, Equinos, Ovinos e Pet Shop.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *